Repasse da Hora Park

Atualizado: 11 de mar.

Alessandro Almeida pede esclarecimento na apresentação de valores de repasse da Hora Park ao Fundo Social de Solidariedade de Rio Claro.

No início de março, período da pandemia em que o Governo Estadual autorizava a prestação dos serviços chamados “essenciais”, levantamos junto à população rioclarense se a cobrança da Hora Park também deveria ser classificada como “indispensável”.


As pessoas que entraram em contato conosco foram, de maneira uníssona, contra a cobrança do sistema de estacionamento rotativo.


É sabido que, contratualmente, a Hora Park repassa um percentual dos valores arrecadados ao Fundo Social de Solidariedade – órgão ligado ao Gabinete do Prefeito Municipal –, cuja competência é o atendimento social emergencial nas suas mais diversas necessidades. O Fundo é responsável por ações imprescindíveis, como campanha do agasalho, da arrecadação de medicamentos, Natal Solidário, ações de dia das crianças, do idoso, da mulher, bazares, apresentações artísticas e culturais, dentre inúmeras outras atividades em prol da população. Entendendo o papel imprescindível que o Fundo exerce em nossa cidade, Alessandro Almeida pediu à Secretaria de Segurança, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Sistema Viário que apresentasse o contrato firmado entre a Prefeitura Municipal e a Hora Park. Em breve análise percebemos que alguns tópicos não apresentavam detalhes esclarecedores na relação sobre as despesas – o que influencia, de maneira direta, os valores repassados ao Fundo. Dessa forma, o vereador pediu um novo requerimento para que sejam apresentados, de maneira detalhada, os documentos utilizados na formação dos valores das despesas operacionais e variáveis constantes no relatório ora solicitado.

Vamos acompanhar para que o trato firmado entre a Hora Park e o Fundo Social de Solidariedade represente o melhor compromisso para todos os cidadãos de Rio Claro!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo